Clipping Sicoob


05/02/2019

Preços de verão estão comportados

DCI

Neste verão os termômetros estão registrando temperaturas acima das médias históricas. Já os preços estão dando um refresco ao bolso do consumidor, segundo o IPC, calculado pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE). 

Pelo levantamento, os produtos e serviços mais consumidos no verão registraram, em média, alta de 3,79%. O percentual ficou abaixo do IPC-10 (4,18%) apurado no mesmo período, de fevereiro de 2018 a janeiro de 2019.As frutas tiveram a maior alta, de 11,89%. Os itens erva mate (6,69%) e refrigerantes e água mineral fora de casa (3,83%) apresentaram alta acima da "inflação de verão", elaborada pelo FGV IBRE. 

"Problemas nas safras de algumas frutas influenciaram o aumento de preço. Já as condições climáticas adversas impactaram as colheitas. Soma-se a isso o maior consumo de frutas nessa época do ano, com refeições mais leves, mais sucos e sorvetes", explicou André Braz, coordenador do IPC do FGV IBRE.

Entre os itens que registraram queda nos preços estão: protetores para a pele (-3,39%), ar-condicionado (-1,84%) e refrigerante diet/light (-1,44%). Já a cerveja, apesar de 0,82% mais barata, apreciá-la fora de casa ficou 3,61% mais caro.

Para o economista, mesmo os preços subindo menos sempre há espaço para economizar. "A dica é que os consumidores deem preferência às frutas da estação, com oferta maior no período e consequentemente preços menores. Outra dica é, quando for à praia, levar o suco, água, mate e cerveja de casa, pois sai bem mais em conta do que comprar de fora", conclui Braz.

<< Voltar para Imprensa